Princípios metodológicos

1. Caminhar ao ritmo da canoa, nem na frente nem atrás, mas ao lado do povo.

2. Práxis e teoria, os dois remos da canoa.

3. Criatividade para buscar caminhos novos e não dar soluções pré-fabricadas.

4. Visitas periódicas, de modo gratuito, numa atitude de escuta, acolhida e aprendizado.

5. Inserção no meio dos pobres,
excluídos/as e diferentes.

6. Atitude de escuta profunda. Ouvir mais que falar e fazer.

7. Apoiar e não sustentar, as iniciativas e projetos dos outros.

8. Trabalho em aliança, parceria, colaboração ou assessoria mútua.

9. Ser presença solidária, gratuita e diferenciada.

10. Registrar, sistematizar e devolver a memória.

11. Cruzar experiências e tecer redes entre comunidades, movimentos, organizações, paróquias, dioceses, ONG’s.

12. Reciprocidade, ficar interdependentes;
“des-apoderar-se”.


https://theo.kuleuven.be/en/research/centres/centr_lib/EquipeItinerante