As “fronteiras” como perspectiva e lugar de inserção


As margens, periferias e fronteiras, geográficas e simbólicas, como lugares preferenciais de inserção e perspectiva da Equipe junto aos pequenos, marginalizados e excluídos.

Para que nasça “o novo” há que:

          “Encarnar-se”,

          “Excluir-se”,

          “Marginalizar-se”,

          “Sair fora”,

          “Entrar na ilegalidade”


https://theo.kuleuven.be/en/research/centres/centr_lib/EquipeItinerante